Filipe Morgado Escrito por Filipe Morgado

Como fazer um passeio fotográfico nos ensaios dos desfiles das escolas de samba no sambódromo de São Paulo

Filipe, você costuma acompanhar os desfiles das escolas de samba? Sendo bem sincero com você, na realidade não muito viu… Mas e se fosse para ir fotografar o ensaio das escolas de samba lá no sambódromo? Hum! Dá pra fazer isso? Com certeza! Opa! Aí sim! Agora estamos falando a mesma língua hahaha.

Parece uma experiência bem interessante. Nunca vi um ensaio, muito menos um desfile ao vivo. Creio que vai ser bem legal poder conhecer algo novo e ainda mais no estilo que mais gosto, fotografando. Já era, vamos lá!


Chama a bateria do moço sorridente :smile: | ISO 800; 152mm equiv.; f/4; 1/200s
Chama a bateria do moço sorridente :smile: | ISO 800; 152mm equiv.; f/4; 1/200s


Não só pareceu como foi muito legal. Ver as pessoas felizes por estarem lá fazendo algo que elas gostam muito, junto com a música, especialmente a bateria, é algo contagiante. Só alegria e muita diversão. Uma ótima oportunidade para conhecer um pouco mais da nossa própria cultura, relaxar e recarregar as energias fotografando um monte por lá :).

Espero conseguir passar um pouco disso aqui com as fotos e também do que aprendi sobre como fotografar o ensaio técnico no sambódromo para que você possa fazer o mesmo. Vamos lá!! Ziriguidum :)

Como você também pode fazer esse passeio

Siga os passos abaixo para fazer um passeio fotográfico bacana no ensaio técnico das escolas de samba no sambódromo de São Paulo.

  1. Leia esse artigo para ficar preparado e então fotografar melhor e curtir mais por lá;
  2. Compartilhe esse artigo no Facebook e Twitter (e onde mais você gostar :) ) convidando seus amigos para irem com você. Vai ser mais divertido se forem em grupo;
  3. Olhe no site da liga das escolas de samba o período em que você pode pedir a credencial para fotografar na região da lateral interna da avenida;
  4. Veja no site da liga das escolas de samba as datas dos ensaios técnicos;
  5. Lembre seus amigos do passeio fotográfico e marque a data em que vocês vão;
  6. Vá ao sambódromo, divirta-se e aproveite bastante o seu momento fotográfico. Fique atento para:
    1. Chegue cedo, isso vai te ajudar em tudo. Ao ler o restante deste artigo, você já terá uma ideia do que é cada lugar, então escolha um e se posicione cedo. Depois vai lotar;
    2. Se você não quiser ficar o tempo todo no mesmo lugar, pegue ao menos uma das escolas pela cerca lateral da avenida e quando estiver satisfeito por lá, tente a dispersão e concentração. Arquibancadas provavelmente estarão lotadas (talvez a arquibancada mais alta ainda tenha lugar);
    3. Se você tiver credencial, a cereja do bolo é sua a qualquer momento. Então, você pode se dar ao luxo de experimentar a arquibancada antes dela lotar (seu primeiro lugar) e descer ao lado da escola na avenida a hora que quiser intercalando com a concentração e dispersão;
    4. Para mais detalhes e facilitar a escolha de equipamento e do seu posicionamento, leia o resto do artigo :)
  7. Volte aqui no artigo e nos conte nos comentários como foi sua experiência por lá e outras coisas que você tenha aprendido.

Fotografando no Sambódromo durante o ensaio técnico para o desfile das escolas de samba

Certamente você vai conseguir fazer fotografias bem legais lá! Saber onde se posicionar e por qual motivo fazer isso vai te ajudar a pegar os melhores momentos do desfile, escolher o equipamento certo para levar no dia, fazer fotografias melhores e, claro, se divertir mais. Mais sobre isso abaixo, mas primeiro vamos começar com algumas considerações gerais.

Antes de mais nada, você não precisa varar a noite lá para fotografar os ensaios. No dia que eu fui, a primeira escola começou às 18h (um pouco depois do horário em que chegamos) e saímos de lá por volta das 23h. Mas se você gosta de ficar acordado até altas horas, nada contra, fique lá o quanto aguentar :).

Outra coisa importante, você não precisa comprar ingresso para os ensaios, eles são gratuitos! Você também pode circular livremente pelo sambódromo, exceto pela avenida.


Dançando no sambódromo | ISO 1250; 168mm equiv.; f/4; 1/200s
Dançando no sambódromo | ISO 1250; 168mm equiv.; f/4; 1/200s

Quando você chegar por lá, tem uma revista. Mas ela é bem simples, olham apenas as mochilas. Foi tranquilo entrar com as coisas de fotografia e uma garrafa d’água. Mas bebidas alcoólicas eles não deixam entrar.

As maiores escolas vão para o ensaio com mais fantasias. Mas nenhuma das escolas levam os carros alegóricos. É apenas o ensaio né, não a hora da verdade. Mesmo assim, foi ótimo fotografar.

Algo que me chamou bastante atenção é que ao apontar a câmera para alguém para tirar a foto, a pessoa faz pose para você, hahaha. É sério! Muitos deles fazem uma pose assim que percebem que vão ser fotografados, você nem precisa pedir. Mulheres, homens, crianças, destaques, bateria, baianas… não importa. Essa é uma das horas em que usar uma câmera grandona é uma boa ideia. Com um celular, provavelmente não vão te notar, mas com uma DSLR e uma lente grande, eles percebem fácil e gostam de fazer pose, dançar, mostrar as roupas e por aí vai.

Aspectos um pouco mais técnicos

Lembre-se de levar vários cartões de memória. Você provavelmente vai se empolgar e fotografar bastante, principalmente se for sua primeira vez por lá. Eu fiz cerca de 930 cliques (média de 300 por escola). Uma amiga que estava conosco, lotou seu cartão e quase ficou sem fotografar, sorte que foi bem no finalzinho. Entretanto, se você for um fotógrafo experiente, provavelmente não vai precisar se preocupar com isso.

Esse dia foi bem diferente do que estou acostumado a fotografar. Eventos, retratos e objetos em movimento não fazem parte do meu dia a dia de fotografia. Mas foi muito legal, eu adorei a experiência. Eu gosto de fotografar coisas diferentes. É sempre um desafio e uma oportunidade para aprender e crescer.

Em um desfile, as pessoas estão dançando, logo elas se mexem bastante. Quando você se propõe a fotografar isso no período da noite, creio que já deve estar pensando que não vai ter luz suficiente para congelar o movimento, né? Então, foi mais ou menos isso. Eu vou contar melhor sobre isso depois, continue a leitura. Mas você pode transformar essa desvantagem em vantagem retratando o movimento das pessoas enquanto elas se apresentam e dançam usando um tempo de exposição um pouco mais longo.


Determinação e garra | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s
Determinação e garra | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s

Além dos probleminhas com o tempo de exposição para congelar o movimento em condições de luz desfavoráveis, o sistema de foco tem que trabalhar muito bem. Alguns integrantes se movem em linha reta e mais lentamente, às vezes até param, mas alguns andam e correm em todas as direções. É complicado pegar essas pessoas, ainda mais quando elas estão bem perto de você.

Outra coisa que me chamou atenção foi a diferença da luz natural (quando chegamos, ainda tínhamos luz natural) para a luz artificial. Eu achava que a diferença era mínima, mas não é não. As cores ficam mais vivas e chamam mais atenção na luz artificial. Eu não estou falando só das fotos, você percebe isso claramente quando está lá olhando com seus próprios olhos.

Vou detalhar agora para você sobre os principais lugares em que você pode se posicionar no sambódromo, cada um deles têm um ponto de vista diferente.

Concentração

Nesse lugar as escolas de samba se preparam e esperam a sua vez de entrar no sambódromo.

Lá, você vai encontrar as pessoas se preparando para entrar, se concentrando e fazendo alguns passos da coreografia. O pessoal também escuta as instruções de sua escola e começa a ficar animado. Também existe um clima de ansiedade, é claro.

Você pode chegar bem perto dos foliões, então é um dos lugares em que você vai ter mais intimidade com eles, dá até para conversar, pois a música não é tão alta por lá. Esse é um bom lugar para pegar a emoção do pessoal.


Pessoal se animando na concentração | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s
Pessoal se animando na concentração | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s

A iluminação por lá é ruim, é bem capaz de faltar luz para você por lá. Se você não tiver um flash ou uma lente bem clara (número f pequeno) junto com uma câmera que produza bons resultados com ISO alto, a melhor hora de ficar por lá é quando ainda existir luz natural.

Fique atento para o fato de quem nem todo dia de ensaio começa em horário que ainda tem luz natural. Verifique as datas e os horários dos ensaios e se planeje para o seu passeio fotográfico. Você pode fazer isso no site da liga das escolas de samba.

Outra dica que vai te ajudar é que a concentração pode ficar beeeem cheia, especialmente para as escolas maiores. Pode ser difícil chegar perto dos foliões nessas condições.

Cercas laterais e pelo lado da avenida junto com a escola

Essas duas opções são parecidas. Na última, você tem a liberdade de andar junto com a escola, parar, andar mais rápido que ela e pegar novamente algumas pessoas que você queira fotografar mais e etc. Enfim, você está livre para andar pelo lado da avenida. Eu disse pelo lado, não vão te deixar cruzar a avenida enquanto a escola estiver desfilando, isso atrapalha o ensaio. Então escolha seu lado e divirta-se.

Você não estará sozinho por ali, outras pessoas também usam a região, como integrantes das escolas, seguranças, outros fotógrafos, etc. Às vezes você vai ter que parar de fotografar para que eles passem, pois o espaço é apertado. Você também estará exatamente em frente das pessoas que ficam nas cercas laterais da avenida. Então alguns podem ficar irritados com você tampando a vista deles hehehe. Será legal da sua parte se você se movimentar ao menos um pouco para não bloquear a vista de quem está atrás de você durante todo o desfile.


Esse cara era incrível! Super concentrado na coreografia e na interpretação. Ele se mexia muito muito muito rápido. Só deu tempo de apertar o disparador | ISO 1600; 168mm equiv.; f/4; 1/125s
Esse cara era incrível! Super concentrado na coreografia e na interpretação. Ele se mexia muito muito muito rápido. Só deu tempo de apertar o disparador | ISO 1600; 168mm equiv.; f/4; 1/125s

Muito importante! Para essa região, você vai precisar de autorização. Então, fique ligado no site da liga das escolas para saber quando a época de credenciamento. Em geral, isso acontece durante algum período no segundo semestre do ano anterior ao evento. Você também pode tentar a sorte e conversar com alguém da assessoria de imprensa quando estiver lá no sambódromo. Vai que… Mas o ideal é fazer com antecedência, é claro. Mas e se eu não conseguir o credenciamento, Filipe? Bom, aí você vai ter que achar um lugar na cerca lateral :).

Se você quiser ficar pertinho da avenida e não tiver a credencial, ache um lugar na cerca lateral e fique por lá. Por quê? Pois se você sair, alguém vai pegar o “seu” lugar. Fica bem lotado por ali. Chegue cedo no sambódromo (idealmente um pouco antes da primeira escola entrar) e marque presença no seu lugar desejado. Nós tentamos um lugar na cerca lateral depois que a primeira escola desfilou, mas não deu certo.


Cantando o samba | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/125s
Cantando o samba | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/125s

Sobre a iluminação, esse é o lugar em que ela é a mais intensa em todo o sambódromo. Você está de cara para a avenida e ela é bem iluminada. Mas… Vai ser suficiente? Depende…

Eu estava com uma lente f/4 com uma câmera de sensor “cropado”. Quando você está nesse local, você está bem perto dos foliões, alguns deles se movem rápido enquanto dançam. Se você quiser congelar o movimento deles, precisará de um tempo de exposição mais curto. O menor tempo de exposição que usei foi 1/200 e ainda não foi suficiente para congelar o movimento em todas as situações.

Filipe, você lembrou de mexer no ISO? Sim, lembrei sim. Ele estava limitado a 1600, é o valor limite que costumo usar com essa câmera e que ainda produz resultados aceitáveis. Na realidade, o valor máximo que eu gosto de usar é 800, mas em ocasiões críticas como essa, eu acabo colocando 1600. Então, f/4, 1/200 e ISO 1600 era o limite para ter a maioria das fotos com a exposição correta por ali. Deixar entrar menos luz do que isso gerava imagens subexpostas.


Detalhe da fantasia | ISO 1600; 168mm equiv.; f/4; 1/50s
Detalhe da fantasia | ISO 1600; 168mm equiv.; f/4; 1/50s

Se você tiver uma lente mais clara, vai ser melhor. Melhor, pois você terá mais luz e poderá usar um tempo de exposição mais curto e também, pois conseguirá isolar melhor o que você quer retratar do restante da cena, principalmente o plano de fundo. Às vezes o fundo são outros foliões, o que ajuda no contexto, mas outras vezes são cercas, postes, arquibancadas vazias e outras coisas que não ajudam em nada.

Eu não gosto de fundos que distraem o olhar de quem vê a fotografia. Quando faço minhas fotografias, eu quero a atenção no assunto principal dela, nada mais. O fundo, se relevante, tem que trazer contexto e não distrair o olhar de quem observa com coisas inúteis. Então, tornar o fundo fora de foco/borrado (bokeh) ajuda bastante. Só não esqueça que a profundidade de campo será menor e acertar o foco pode ficar ainda mais difícil.


Baiana cantando | ISO 400; 168mm equiv.; f/4; 1/160s
Baiana cantando | ISO 400; 168mm equiv.; f/4; 1/160s

E então, vai ter luz suficiente para você? Eu não sei. Não sei qual equipamento você tem e nem no que você se interessa por fotografar :). Entretanto, creio ter te dado as informações necessárias para você pensar por conta própria. Se não foi suficiente, pergunte lá em baixo nos comentários.

No pior caso, você pode se concentrar em fotografar os foliões que se movem menos ou esperar os momentos em que os mais acelerados se movem mais devagar. Vai ter muita coisa para fotografar lá, não fique muito preocupado.

Arquibancadas

Existem dois tipos de arquibancadas lá, as comuns e uma que fica bem mais alta que todas as outras. As comuns se espalham por toda a avenida e a mais alta fica em um lugar só.

Nas comuns, você tem um ponto de vista bacana, um pouco mais alto do chão e mais afastado do que na cerca lateral da avenida, na concentração ou na dispersão. Acaba sendo uma oportunidade interessante para fotografar o movimento de um grupo de pessoas usando um tempo de exposição um pouco mais longo. Isso pode ficar bem legal para a ala das baianas, por exemplo. É possível fotografar dessa forma sem o auxílio de tripé se você apoiar os braços na cerca da arquibancada.


Rodopio das baianas | ISO 100; 168mm equiv.; f/18; 1/10s
Rodopio das baianas | ISO 100; 168mm equiv.; f/18; 1/10s

É um ponto de vista legal também para pegar uma vista do sambódromo como um todo, junto com a avenida e também das pessoas que estão na arquibancada assistindo o desfile.

Eu estava usando uma lente 24-105mm em um sensor “cropado” (equivalente a 38-168mm para um sensor full frame) e não era possível fazer um retrato de apenas uma pessoa ocupando toda a imagem. Para deixar ela isolada, foi preciso cortar a imagem depois (acho que você se lembra que eu não gosto de fundo com elementos que distraem o olhar né :)). Enfim, agora você tem uma ideia melhor do que esperar com relação à distância focal quando estiver junto à grade da arquibancada comum.


Torcida | ISO 250; 168mm equiv.; f/4; 1/200s
Torcida | ISO 250; 168mm equiv.; f/4; 1/200s

E a arquibancada mais alta, Filipe? Como é lá? Olha, é alto viu :P hehehe. Antes, para chegar lá entre na arquibancada comum logo abaixo dela. No meio dessa arquibancada, tem a entrada para onde queremos ir.

Lá, você vai ficar bem mais longe e bem mais alto que a avenida. Então, esse é o melhor lugar para tirar fotos dos foliões junto com a multidão que assiste, além de fotos da visão geral do sambódromo. Você também pode aproveitar para tirar fotos de muitos integrantes juntos, por exemplo, de uma ala inteira. É possível ver o recuo da bateria dali, mas é distante.


Vista da arquibancada mais alta | ISO 200; 19mm equiv.; f/5; 1/30s
Vista da arquibancada mais alta | ISO 200; 19mm equiv.; f/5; 1/30s

Dispersão

Esse é o local em que o desfile termina. As pessoas estão bem felizes e aliviadas pelo desfile que fizeram. Muita emoção rola nessa área. Vimos a porta-bandeira de uma das escolas desmaiar logo que pisou na dispersão e a próxima porta-bandeira começou a chorar depois que chegou, espero que tenha sido de felicidade. Enfim, creio que você já entendeu a ideia, lá é o melhor lugar para pegar a emoção do pessoal ou o excesso dela.

É nesse lugar também que você vai poder chegar o mais perto possível das pessoas, inclusive no meio delas e não só pelos lados como na cerca da avenida ou na concentração.

Um detalhe totalmente normal, mas que pode adicionar algo interessante para sua fotografia é que boa parte do pessoal chega suado na dispersão. E, sim, eles ainda têm energia para fazer pose para você :). Veja só:


Charminho | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/200s
Charminho | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/200s

Da dispersão, você pode conseguir uma foto da escola como se você estivesse no meio da avenida. É só você estar na frente da dispersão e bem no meio dela antes da escola chegar por lá.

A primeira escola que assistimos não era tão grande e então conseguimos fazer fotos deles na concentração, ver toda a escola entrar pela arquibancada comum e depois ainda andamos até a dispersão para ver eles chegarem por lá.

Fique atento, isso só funciona para escolas pequenas. As grandes têm tanta gente que nem cabe todo mundo dentro da avenida de uma vez, então não vai dar para ver tanto tempo da arquibancada, se você quiser pegar eles chegando na dispersão.


A moça tem até um livro do carnaval do ano passado. Deve gostar pouco dos desfiles, né? hehehe Com esse olhar ainda... | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s
A moça tem até um livro do carnaval do ano passado. Deve gostar pouco dos desfiles, né? hehehe Com esse olhar ainda… | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s

Assim como na concentração, a iluminação nessa região não é tão boa quanto a da avenida. Vai te ajudar bastante se você tiver uma lente clara e uma câmera que não produz muito ruído com ISO alto. Em geral, as pessoas não estão se mexendo tão rápido por lá, então o tempo de exposição não precisa ser tão curto. Isso ameniza o problema da falta de luz.

Como chegar

Você pode ir de carro, existem estacionamentos por lá. Entretanto, em geral, eles ficam lotados e tem até espera. Além disso, também não são baratinhos. Estacionar na rua será um desafio, fora o fato de que estava cheio de flanelinhas suspeitos. Enfim, não me parece uma boa alternativa ir de carro. Caso você vá dessa forma, então chegue cedo para ao menos não ter espera.

Na minha opinião, o melhor jeito é ir de metrô. A estação Portuguesa-Tietê fica ali perto, bem em frente ao terminal de ônibus. Só que do metrô até o sambódromo não é legal ir andando. Então você tem duas alternativas, táxi ou as vans que fazem esse trajeto (em geral, ficam cheias e custam por volta de R$4,00). Como estávamos em grupo, fomos de táxi.


Pessoal em movimento na avenida | ISO 100; 38mm equiv.; f/8; 1/15s
Pessoal em movimento na avenida | ISO 100; 38mm equiv.; f/8; 1/15s

Para voltar, acabamos pegando o táxi novamente, a van não estava por lá (provavelmente estava no meio do trajeto) e não nos pareceu muito legal ficar por ali naquele horário, apesar de ter mais gente e certo policiamento rondando. Tanto na ida quanto na volta, algumas ruas estavam interditadas e o caminho acabou sendo um pouco maior do que o esperado.

Para entrar no sambódromo, procure pela entrada que vai dar na concentração.

Comentários finais

Nossa, esse passeio fotográfico foi uma forma incrível de relaxar fazendo algo que gosto muito. A alegria do pessoal junto com o ambiente que é criado é contagiante. Você entra no clima, aproveita o momento sem pensar em mais nada e ainda se diverte fotografando. É meio maluco, mas esse dia me deu um ânimo novo para continuar a vida e, como disse um dos amigos que foi conosco, “lavamos a alma” :).

Também posso dizer que aprecio mais os desfiles agora. É interessante esse efeito. Tenho notado que ao viver alguns momentos e conhecer mais sobre determinadas coisas, a gente passa a se interessar mais por elas. Mesmo quando é só um pouco, como nesse passeio.

A mesma coisa aconteceu quando fui para o Peru e aprendi sobre os Incas e tudo que eles fizeram por lá. Agora, qualquer coisa relacionada à cultura Inca ou ao Peru me chama muito mais atenção do que antes.


Dançando feliz da vida | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s
Dançando feliz da vida | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s

Eu errei o foco de diversas das fotos que fiz nesse dia. Não é moleza fotografar pessoas se movendo aleatoriamente para tudo quando é lado com pouca luz e ainda se posicionando bem próximo delas. Mas, no final das contas, o que faz um belo passeio não é só o resultado final das fotos, o “caminho” é muito importante. Eu fotografo para viver minha vida, não só para ter boas memórias ou fotografias.

Foi ótimo estar lá. Conhecer e fotografar algo que era novo para mim, foi excelente. Então, de qualquer forma acabou sendo uma experiência muito bacana. Mais do que isso, os erros servem de aprendizado, para eu refletir sobre eles e pensar em meios de melhorar minha fotografia. Espero ano que vem estar lá e acertar mais.


Cantando na avenida | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s
Cantando na avenida | ISO 800; 168mm equiv.; f/4; 1/160s

Eu gostaria também de dizer um super obrigado aos amigos que estiveram comigo naquele dia. Foi muito bacana ter feito o passeio com vocês e também agradeço pelo que me mostraram e me ensinaram lá para que eu pudesse retransmitir o conhecimento aqui.

Quer ver como esse pessoal é legal? Estamos postando as fotografias que fizemos nesse dia em um grupo público do Facebook. Acreditamos que assim elas vão poder chegar aos que foram fotografados por nós. Infelizmente, na grande maioria das vezes isso não acontece. Esperamos que assim fique mais fácil. O grupo chama CARNAVALSP2018 – Ensaio Técnico 27/01. Vai ser bem legal poder ajudar o pessoal que desfiou a ter uma memória desse dia :).

Agora é com você! Siga os passos lá no início do artigo e aproveite o passeio também! :) \o/


Agradeço muito pelo tempo que você dedicou à leitura do artigo. Obrigado ;). Espero que tenha sido proveitoso para você.

Até!