WillingToLive

foto de capa por Fabio Marujo

Filipe Morgado Escrito por Filipe Morgado

Passeio fotográfico no Mercadão de São Paulo com o Foto Rolê

Ah, eu gosto dessa “paradinha” chamada passeio fotográfico hein :)!

É útil para descobrir novos lugares (até mesmo em minha própria cidade!), conhecer pessoas inspiradoras, ter um momento meu em que me dedico a fazer algo que gosto muito e, por um motivo bem importante também, praticar fotografia.

Inclusive, essa última foi a razão que deu origem ao Foto Rolê. O grupo organiza passeios fotográficos em São Paulo e o passeio deste artigo, Mercadão (Mercado Municipal de São Paulo), foi o meu primeiro com eles e foi bem legal. Mas…


Luz. Esse é o tipo de foto que você espera de alguém que foi fotografar no Mercadão? Uma foto da luz? Continue a leitura para você entender melhor :) | ISO 100; 29mm equiv.; f/5,6; 1/80s
Luz. Esse é o tipo de foto que você espera de alguém que foi fotografar no Mercadão? Uma foto da luz? Continue a leitura para você entender melhor :) | ISO 100; 29mm equiv.; f/5,6; 1/80s

Qual é primeira coisa que você pensa sobre um mercado? Os produtos? Frutas, legumes, carnes, temperos… Certo? Sim. Em geral, é isso que as pessoas pensam. Mas essa não foi a maior parte das minhas fotografias lá… Sabe como é né… Quem fotografa pensa e enxerga o mundo de uma forma um pouco diferente.

Ai… como assim, Filipe? To boiando. Me ajuda? Mas é claro! Estou aqui para isso :). É só seguir com a leitura. Se precisar, faça perguntas nos comentários ou me mande um email (é só se inscrever no blog, botão azul).

Vamos ver o que eu descobri no Mercadão e como que você pode fazer um ótimo passeio por lá também ;).


Vitral em preto e cor :P | ISO 100; 21mm equiv.; f/5,6; 1/320s
Vitral em preto e cor :P | ISO 100; 21mm equiv.; f/5,6; 1/320s

Sobre o Foto Rolê

Como já mencionei, este passeio fotográfico foi organizado pelo Foto Rolê. O primeiro passeio do grupo ocorreu em 26 de agosto de 2017 e nasceu da vontade do Rafael Franco em praticar fotografia. Melhor do que eu tentar te explicar a origem da motivação dele, veja o próprio Rafael contando como foi:

“Após comprar minha primeira DSLR em Julho de 2017, comecei a perceber que tinha que estudar muito pra aprender a fazer fotografias minimamente aceitáveis, do contrário eu poderia continuar fotografando com celulares, câmeras compactas, superzoom ou qualquer outro tipo de câmera que minha fotografia seria sempre a mesma.

Para minha grata surpresa, estudar também não era a única solução. Ao aprender os pilares da exposição (ISO, diafragma e obturador) eu notei que era preciso muito mais do que colocar no modo M (manual) e saber das causas e consequências de cada pilar da exposição. Era preciso ter agilidade para mudar as configuração e fotometrar em cada click.

Mas como conseguir essa tal agilidade a não ser praticando? Então vamos praticar! Treinei com a esposa, com o gato, com as cachorras, com as plantas, da sacada, mas nada, minhas fotos continuavam chatas e sem graça.

Consultando alguns youtubers fotógrafos a dica mais repetida entre eles era: “saiam para fotografar”, “vamos às ruas, nosso campo de batalha”. …"


Me chamou atenção esse casaco pendurado, solitário e contrastando com a cor de fundo | ISO 800; 16mm equiv.; f/5,6; 1/20s
Me chamou atenção esse casaco pendurado, solitário e contrastando com a cor de fundo | ISO 800; 16mm equiv.; f/5,6; 1/20s

Motivado a praticar e aprender fotografia, não apenas dentro de sua própria casa :), o Rafael decidiu criar o seu próprio passeio fotográfico. Por favor, dá uma olhada no primeiro parágrafo desse meu outro artigo.

Sacou? É praticamente a mesma motivação para começar a participar dos passeios fotográficos! Quando conversei com ele e o Rafael me explicou dessa forma sobre o seu início (o que você acabou de ler acima), achei bem legal.

Hoje, o Rafael não está mais liderando o grupo. Agora é a Pollyanna, a Laura e a Kiss que estão organizando os passeios. De qualquer forma, o Foto Rolê continua vivo e organizado passeios fotográficos para nós :). Infelizmente, o Foto Rolê encerrou suas atividades em junho de 2018.

Vamos ver como chegar no Mercadão…

Planejamento – Como chegar no Mercadão e com fazer o passeio fotográfico por conta própria

O Mercadão fica na região central de São Paulo. A estação de metrô mais próxima é a São Bento. Como chegar? Vou facilitar sua vida com o mapa abaixo.


Se você não for de metrô, é só clicar no mapa (em “Mais opções”) para trocar o início da rota ;). Aproveitando, a caminho marcado no mapa começa na saída localizada na Ladeira Pôrto Geral (pertinho da 25 de Março). Porém, essa não é a única saída do metrô, fique atento.

O evento começou às 10h e tínhamos autorização para fotografar por lá até às 15h. Tempo suficiente para aproveitar o Mercadão com calma.

Se você quiser fazer um passeio fotográfico no Mercadão por conta própria, isso também é possível. O ideal é você pedir uma autorização com a administração. Imagino que você não queira ir até lá para depois ser impedido de fotografar pela segurança. Não necessariamente isso vai acontecer, mas provavelmente irá. Então contate eles em imprensasmte@prefeitura.sp.gov.br e curta o passeio numa boa.


Me chamou atenção o contraste da televisão clara e todo esse azul intenso e ainda com uma textura diferente. Fotografia contemplativa? | ISO 125; 29mm equiv.; f/5,6; 1/40s
Me chamou atenção o contraste da televisão clara e todo esse azul intenso e ainda com uma textura diferente. Fotografia contemplativa? | ISO 125; 29mm equiv.; f/5,6; 1/40s

Fotografando no Mercadão (Mercado Municipal de São Paulo) e o que descobri por lá

Para esse passeio fotográfico, o plano era fotografar primeiro com a lente grande angular por todo o Mercadão. Depois do almoço, faria a mesma coisa, porém, com a outra lente (distância focal maior) para pegar detalhes do lugar e das coisas.

Por que começar com a grande angular e não o contrário? Pois eu ainda quero melhorar e praticar mais com ela (é a minha lente mais nova, tem por volta de 1 ano), então é o que julgo como mais importante nesse momento.

Eu também pensei que depois do almoço eu estaria mais cansado e quando isso acontece, fica bem mais difícil. A vivência do passeio fica prejudicada e os resultados também. Inclusive, foi exatamente isso que aconteceu.


Essa foto também fica bacana colorida, mas como a temática é a luz, o preto e branco ajuda nisso | ISO 800; 25mm equiv.; f/5,6; 1/30s
Essa foto também fica bacana colorida, mas como a temática é a luz, o preto e branco ajuda nisso | ISO 800; 25mm equiv.; f/5,6; 1/30s

Um pouco de planejamento vai te ajudar a aproveitar ao máximo os seus passeios fotográficos. Vai permitir que faça o que é mais significativo para você primeiro, assim você aproveita melhor seu tempo e curte mais o passeio e seus momentos fotográficos :).

Gostei de fotografar com a grande angular. Por lá, os corredores não são tão largos assim e também existem várias outras pessoas pelo caminho. Então, ficou bem mais fácil (e possível) de fotografar, por exemplo, toda a frente de uma loja com essa lente.

O Mercadão é muito incrível para fotografar. A variedade de estilos que você pode fazer lá é grande. É possível conseguir fotos interessantes com qualquer lente, escolha a sua baseado no que você deseja capturar.

O Mercadão é facilmente reconhecível por sua arquitetura e seus vitrais. Esse já é um bom tema para você fotografar por lá.


Luz e arquitetura local. Como você deve imaginar vendo essa fotografia, o horário do dia influencia no tipo de luz no Mercadão. Ao redor do meio-dia, a luz do sol entra de forma mais intensa pelo teto, nos outros horários ela fica mais suave e funciona melhor como uma luz de preenchimento | ISO 100; 21mm equiv.; f/11; composição com tempos de exposição diferentes
Luz e arquitetura local. Como você deve imaginar vendo essa fotografia, o horário do dia influencia no tipo de luz no Mercadão. Ao redor do meio-dia, a luz do sol entra de forma mais intensa pelo teto, nos outros horários ela fica mais suave e funciona melhor como uma luz de preenchimento | ISO 100; 21mm equiv.; f/11; composição com tempos de exposição diferentes

Além disso, você também pode se concentrar nas pessoas, nas múltiplas e incríveis cores e em seus diferentes produtos, como, frutas, legumes, oleaginosas, queijos, carnes e muito mais. Fora isso, detalhes também não faltam por lá, é apenas uma questão de prestar atenção e encontrá-los. Mas tem mais uma “coisinha” que você vai poder fotografar muito lá…

Para mim, o Mercadão se resumiu na luz. A luz foi o que mais me chamou atenção. Muitas fontes de luz diferentes, do teto com suas regiões translúcidas até as luzes das lojas. Algumas são suaves (difusa) outras bem “focadas” (dura), outras estão entre os produtos criando tudo quanto é tipo de interação da luz com os objetos.


Luz e carnes coloridas | ISO 200; 19mm equiv.; f/5,6; 1/30
Luz e carnes coloridas | ISO 200; 19mm equiv.; f/5,6; 1/30

Entretanto, você vai ter que destilar o ambiente bastante confuso e caótico para conseguir criar suas fotografias. É como se tudo chamasse sua atenção ao mesmo tempo. Todas as cores, as diferentes fontes e intensidades de luz, os produtos, as pessoas, os sons, os cheiros… nossa… é muita informação te bombardeando. Não é fácil, hahaha. Mas é claro que dá para você ter um momento bacana fotografando por lá :).

Para ter imagens melhores, mais limpas, simples, objetivas, com um assunto claro e sem muitas coisas divergentes brigando pela atenção de quem observa a imagem, minha primeira sugestão é fotografar detalhes, inclusive macro. Esta é provavelmente a forma mais fácil de driblar fotos confusas.

Você também pode tentar encontrar momentos interessantes, como pessoas fazendo coisas curiosas ou marcantes, suas emoções e expressões faciais, a simples combinação ou composição de objetos e cores interessantes. Ou você pode simplesmente fotografar a luz \o/.


Luz e queijos. Várias lojas oferecem pequenas porções dos produtos para você experimentar gratuitamente | ISO 125; 22mm equiv.; f/5,6; 1/30s
Luz e queijos. Várias lojas oferecem pequenas porções dos produtos para você experimentar gratuitamente | ISO 125; 22mm equiv.; f/5,6; 1/30s

No início, levei um tempo para realmente “entrar” no passeio fotográfico. Creio que não tenha sido somente pelo fato do ambiente agitado, isso acontece às vezes. É comum eu começar fazendo algumas fotos que nem acho que vão ficar boas, apenas para começar a entrar no clima e as coisas passarem a fluir. Enfim, mais cedo ou mais tarde acontece e então fica bem divertido. Creio que seja apenas uma questão de me concentrar e focar na atividade que estou fazendo.

Durante o passeio, eu me deparei com vários singelos momentos em que eu me encantei com coisas simples. Eu falarei mais sobre isso (fotografia contemplativa) em artigos futuros. Fique ligado.


Azul, enquadramento, diferente... | ISO 800; 29mm equiv.; f/5,6; 1/30s
Azul, enquadramento, diferente… | ISO 800; 29mm equiv.; f/5,6; 1/30s

Tenho uma pequena história de uma das fotos que gostaria de compartilhar com você.

Eu estava andando pelos corredores e vi uma coisa que parecia um container, mas, ao mesmo tempo, lembrava um grande freezer. Apesar do cadeado na porta, ela estava aberta e eu podia escutar alguém lá dentro fazendo alguma coisa.

Então pensei, hum… ia ser divertido se eu conseguisse fotografar essa pessoa bem na hora que ela saísse do “container”…

Comecei a compor a foto. Sendo bem sincero com você, não estava botando muita fé de que isso de fato aconteceria, mas vai que… Por que não? Tentar não custa nada, no pior caso fico só com a foto da porta aberta, a forma, textura e geometria. Mas…


Saindo... | ISO 250; 29mm equiv.; f/5,6; 1/30s
Saindo… | ISO 250; 29mm equiv.; f/5,6; 1/30s

Quando apertei para tirar a foto, o moço surgiu! Wow! Nem acreditei, hahaha! Na realidade, eu até tomei um susto quando ele saiu, provavelmente por isso que a foto ficou um pouco tremida. Mas nem me importo muito. Eu não tenho que entregar um projeto depois do passeio, não estou trabalhando, não é esse o propósito. Estava lá fotografando apenas para aproveitar a vida, descobrir coisas novas e criar :). Então, a história, a experiência de vida é mais importante do que o resultado aparente do passeio. Aproveite seus momentos \o/.

E não fui só eu, o moço se assustou também, hahaha. Mas quando ele viu que eu estava tão surpreso quanto ele, ele nem se importou e até me cumprimentou, huehuehue :).

Eu também tentei isso em outras portas do Mercadão, mas sem sucesso. Creio que essa foi uma das últimas que fiz isso. Às vezes funciona, outras vezes não. Para que as coisas aconteçam, temos apenas que dar chance ao acaso.


Ando testando fotos com uma grade ou algo assim na frente, parece interessante | ISO 800; 16mm equiv.; f/5,6; 1/40s
Ando testando fotos com uma grade ou algo assim na frente, parece interessante | ISO 800; 16mm equiv.; f/5,6; 1/40s

Após o almoço (os principais restaurantes ficam no mezanino e são mais caros do que os que ficam no térreo), eu voltei a fotografar ainda com a grande angular para fazer umas fotos da arquitetura do lugar lá de cima do mezanino.

Depois disso, troquei para a outra lente e fui em busca dos detalhes.


Como será que fica uma carne em preto e branco? | ISO 800; 168mm equiv.; f/5,6; 1/50s
Como será que fica uma carne em preto e branco? | ISO 800; 168mm equiv.; f/5,6; 1/50s

Por volta de uma hora depois, cansei. Não fisicamente, mas mentalmente. Sabe quando começa a faltar paciência para realmente parar, observar e encontrar as coisas?

Pois é, começa a ficar difícil de concentrar e criar fotografias interessantes assim. Acabo apenas percorrendo os espaços e não realmente prestando atenção e descobrindo o que está ao redor.

Isso é exatamente o que eu não gosto de fazer quando estou viajando ou fotografando em algum lugar, o propósito da brincadeira começa a perder a graça. Então, hora de parar e ir para casa.


Peixes e suas texturas, formatos e organização... | ISO 100; 29mm equiv.; f/5,6; 1/40s
Peixes e suas texturas, formatos e organização… | ISO 100; 29mm equiv.; f/5,6; 1/40s

Pensamentos finais

Como você pode ver, foi um passeio fotográfico bem legal e finalmente visitei o mais conhecido mercado da minha cidade, hahaha.

Qual outra atividade me faria ir até lá? Provavelmente nenhuma. Por que eu iria cruzar a cidade e despencar de casa até o centro de São Paulo apenas para visitar o Mercadão, descobrir seus detalhes e ficar observando? Esse, para mim, é o poder da fotografia e dos passeios fotográficos.

Eu também não esperava encontrar o que vi por lá, não estou falando de assuntos relacionados à fotografia. Digo sobre aspectos do próprio mercado mesmo. Até que é um lugar bem bacana, muito melhor do que a grande maioria dos mercados municipais que já vi. Claro que não é perfeito, mas muito melhor do que as redondezas, por exemplo. Dá até para dizer que é um oásis na região do centro.


Só para você não ficar triste que não teve nenhuma frutinha nas fotos :P | ISO 800; 168mm equiv.; f/5,6; 1/125s
Só para você não ficar triste que não teve nenhuma frutinha nas fotos :P | ISO 800; 168mm equiv.; f/5,6; 1/125s

Também posso dizer que me senti bem confortável fotografando por lá. Não me senti ameaçado em nenhum momento. Não acho que você precisa ir fotografar por lá em grupo. Mas estou falando de dentro do mercado, ok? Nos arredores já é outra história. Se você quiser tentar fotografar por lá, vá ao menos em grupo. Se for de fora de SP, arranje alguém que é da cidade para ir com você.

Foi também uma excelente oportunidade para criar minhas fotografias, aproveitar minha vida e focar toda a minha atenção em fazer apenas uma atividade, em fotografar e viver os momentos prazeroso que ela pode nos proporcionar.

Uma ótima forma de voltar para casa tranquilo, relaxado, realizado e feliz :)

Lembre-se, quem fotografa enxerga as coisas de uma forma um pouco diferente.

Agradeço muito pelo tempo que você dedicou à leitura do artigo. Obrigado ;). Até!